Frascati, cidade do vinho

Sábado à tarde, nada pra fazer, e aquele calorzão de verão italiano. Depois de girar por 5 meses dentro de Roma, o melhor a fazer é escapar pra outra cidade – já que tudo aqui é muito bem ligado por trens. Em meia hora se chega na praia, em quarenta minutos se visita a região de lagos onde fica o Castelo Gandolfo (a casa de verão do Papa), ou mesmo algumas cidadezinhas dessa região central da Itália.

Hoje, visitei uma cidade pequeninha, no alto das montanhas ao redor de Roma, numa altitude suficiente pra se ver toda a capital italiana. Frascati é considerada o centro dos “Castelli Romani”, uma área muito importante por causa dos seus vinhos.

Uma paz imensa, igrejas, ruinhas estreitas e gente discutindo por qualquer coisa nas ruas. Conhecemos o centro em menos de uma hora e fomos para o que interessa: comer e beber.

Depois de procurar um bom tempo por um lugar pra sentar, descobrimos que o que o povo faz ali é comprar a ‘porchetta’ (carne de porco assada) no mercado de rua e ir até um ‘fraschete’, uma cantina onde se sentam pra comer e encher a cara com vinhos maravilhosos.

Foi numa cantina dessas que bebi o melhor vinho branco da minha vida! Sem taça, sem garçom servindo pra degustação, sem frescura nenhuma. O vinho não tinha nem nome – o tiozinho da cantina falou que era feito em Frascati e encheu a garrafa com a bebida fresquinha, antes reservada no barril que estava atrás do balcão.

>> Não teve como não lembrar do meu pai. Queria muito que ele estivesse alí, hehe

Nos sentamos alí, pedimos o vinho branco, e comemos a porcheta que tínhamos comprado no mercado de rua, achando muito estranho essa coisa de ‘comprar ali e comer aqui’ – em São Paulo não nos deixariam fazer isso nunca! Mas vimos que os italianos chegavam com comida de fora, se sentavam dentro da cantina e pediam um vinho pra acompanhar.

Isso é uma coisa que eu gosto muito na Itália: cada lojinha na rua é especializada em uma coisa, oferecem só um tipo de produto e o fazem muito bem, há anos, há gerações, sem aquela concorrência estúpida. Não existe a vontade de querer sugar o máximo do cliente, fazendo ele comprar outras tantas coisas.

Quando você quer fazer compras, vai ao centro da cidade e anda pelas ruas, entrando de lojinha em lojinha – nada de shopping center ou megaboulangeries. Se você quer um bom pão italiano, vai à paniteria do fulano. Se quer frios baratos e de qualidade, vai à salumeria do cicrano. Se quer lanchinhos, paninoteca da esquina. Se quer cigarros, tabacaio da vizinha. Se quer se esbaldar com doces, à pasticceria da família tal.

Dizem que a Itália parou no tempo, que as pessoas têm a mesma mentalidade de séculos atrás.

Ainda bem. Aqui, os negócios parecem ter uma coisa que as grandes redes perderam: a humanidade.

Anúncios

Tags: ,

5 Respostas to “Frascati, cidade do vinho”

  1. André Says:

    Eu e o Diego estamos aqui querendo nossos BRINDES!!! HUNF!

  2. Leozinho Castello Says:

    Ciao,
    Io tenho lido tudo che tu screve in tuo blog,
    Io gosto molto.
    Penso che tu sei una persona molto inteligente.
    Io estava esperando ha molto tempo per outro texto.
    Achei molto belo, tu dedicare um brind a tuo padre.

    Congratulazione.
    Leozinho Castello — Brazile — Goiânia-GO — Assoc. Saúde & Alegria

  3. Leozinho Castello Says:

    Io leio tutto che tu screve. É molto bom. Parabéns!
    Aqui é do Brazile,Goiânia-GO

  4. Leozinho Castello Says:

    Molto bello tuo amore per tuo padre.

  5. Roberto Says:

    Adorei seu blog.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: